23 mar

TUDO o que você precisa saber ANTES de viajar para a África do Sul!

Como chegar        

A South African Airways é a única companhia aérea que oferece voos direto de São Paulo para Joanesburgo. Tanto a Emirates quanto a British Airways oferecem aos passageiros voos com uma ou até duas escalas em Dubai, Madri ou Londres, por exemplo, mas eles normalmente são beeemmm mais longos e consequentemente mais caros.

+ As melhores ofertas de hospedagem na África do Sul você encontra aqui!

Os voos diretos ligando o Brasil e a África do Sul duram por volta de oito horas e meia, sendo que hoje em dia o voo com saída diária tem decolagem prevista para as 17h30 e chegada em Joanesburgo por volta das 6h30 da manhã.

Africa-Africa-do-Sul-South-African-Airways

 Documentos necessários

Felizmente a África do Sul não exige visto de entrada para brasileiros (para permanência de até três meses), mas é necessário que o seu passaporte tenha validade mínima de seis meses e pelo menos uma página em branco. A justificativa para essa curiosa solicitação é a que o carimbo de entrada e saída do país ocuparia uma página inteira, o que como você verá na foto abaixo, não é verdade. De qualquer forma, para evitar problemas na sempre temida imigração, melhor seguir a instrução (mesmo que ela pareça besteira).

Africa-Africa-do-Sul-Carimbo-Passaporte

Vacinação obrigatória

A apresentação do certificado internacional de vacinação contra a febre amarela é mandatória. Essa vacina deve ser tomada pelo menos 10 dias antes do embarque e tem validade de 10 anos.

Africa-Africa-do-Sul-Febre-Amarela

Idioma (ou idiomas!) oficial

A África do Sul tem 11 (!!!!) idiomas oficiais, mas o inglês (ainda que com um sotaque bem pesado) é a língua adotada comercialmente, principalmente na comunicação com os turistas. Ou seja, você não precisa ser fluente em tsonga, zulu ou xhosa para se virar no país. Só por curiosidade, dos 11 idiomas oficiais, dois são línguas indo-europeias (inglês e africâner – variação do holandês), enquanto as outras nove são línguas bantas, da família linguística nígero-congolesa.

Horário local

A África do Sul fica quatro ou cinco horas a frente do horário oficial de Brasília, dependendo do horário de verão do Brasil.

Africa-Africa-do-Sul-Fuso-Horario

Eletricidade

A voltagem na África do Sul é de 220V, ou seja, compatível com os aparelhos eletrônicos bivolts. E apesar de todo bom turista ter um adaptador universal na mochila, aqui ele acaba não tendo muita utilidade. O padrão oficial sul-africano de tomadas é diferente de qualquer outra parte do mundo: possui três pinos largos e redondos, formando o desenho de um triângulo. De qualquer forma, os adaptadores sul-africanos são bem baratos e podem ser encontrados em qualquer lugar desde lojas nos aeroportos a farmácias e supermercados.

Africa-Africa-do-Sul-Adaptador-Tomada

Clima

A África do Sul é ótima para se viajar durante o ano inteiro e o foco da sua viagem deve determinar a época mais conveniente para a visita. Os melhores meses para safari por exemplo, são de março a novembro, quando ainda não está tãããooo calor no país. Mas para quem busca praias, caminhadas e escaladas, o raciocínio a ser seguido deve ser exatamente o contrário: de outubro a abril, quando o verão está bombando. A Cidade do Cabo, assim como a Garden Route, ficam menos charmosas durante os meses mais chuvosos: junho, julho e agosto.

Moeda local

A moeda oficial da África do Sul é o rand (cujo o símbolo é um “R”) e nenhuma outra moeda além dele é aceita no país para a realização direta de qualquer transação comercial (nem dólar, nem euro, muito menos real). Apenas por curiosidade, o rand está disponível em 5 notas diferentes (R10, R20, R50, R100 e R200) e sete moedas distintas (5c, 10c, 20c, 50c, R1, R2 e R5).

A maioria dos cartões de créditos (Visa, MasterCard, American Express, Diners Club etc) é aceita em lojas, restaurantes e museus mas mesmo que você opte por efetuar todos os pagamentos com cartões, é prudente ter em mãos uma quantia razoável de rands em dinheiro para pagar pequenos gastos com táxi e compras em mercados de artesanato, por exemplo.

Africa-Africa-do-Sul-Notas-Rands

Como é tarefa complicada trocar real diretamente por rand aqui na África do Sul, o ideal é que você tenha consigo dólares ou euros – essas sim moedas facilmente aceitas em qualquer banco ou casa de câmbio. Outra opção também bastante comum é a de sacar dinheiro diretamente da sua conta em um dos diversos caixas eletrônicos encontrados pela cidade.

Para a nossa felicidade, atualmente o rand está beeemmm desvalorizado em relação a nossa moeda: um real equivale a aproximadamente 4 rands. Na prática, a conta a ser feita é bem simples: basta dividir o valor em rand por quatro, para se ter uma ideia aproximada do mesmo valor em moeda brasileira. Ou seja, se uma garrafa de água custa 10 rands, em reais ela sai por volta de R$ 2,50.

Gorjeta

Os restaurantes não obrigatoriamente incluem o serviço na conta, mas é costume deixar uma gorjeta que varia de 10% a 15% do valor a ser pago. O mesmo vale para maleiros, estacionamentos, frentistas e até os rangers, que são os guias que acompanham os turistas durante os safaris.

Mão inglesa 

Dirigir na mão inglesa significa dirigir na mão errada, opa, contrária da que estamos acostumados. Todos os países que utilizam a mão de circulação inglesa (Inglaterra, Irlanda, Escócia, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul etc) possuem carros com volante e pedais no lado direito do veículo, onde para nós brasileiros é o lugar do passageiro. Por isso nem preciso dizer aos que arriscam alugar um carro por aqui que a atenção deve ser dobrada, certo? Carros automáticos quebram um bom galho aos iniciantes, já que trocar a marcha com a mão esquerda é totalmente antinatural para a gente…

Ah, e vale dizer aos pedestres não acostumados com a mão inglesa que a atenção deve ser triplicada ao atravessar a rua, não é mesmo? Sim, porque quando digo que mão inglesa é sinônimo de mão contrária, isso também vale para quem anda pelas rua. E o carro que a gente normalmente espera vir pela esquerda, lá acaba misteriosamente surgindo pela direita…

Africa-Africa-do-Sul-Mao-Inglesa

Segurança

A maior parte dos países do planeta Terra podem ser visitados com segurança, inclusive a África do Sul, desde que o turista tenha bom senso e tome as precauções e cuidados que tomaria em qualquer cidade do mundo. Você caminha pelas ruas de São Paulo ostentando jóias, relógios ou aparelhos eletrônicos? Você caminha por ruas desconhecidas e suspeitas de Paris a noite? Você entra em qualquer táxi que parar para você em Mumbai? O racional a ser seguido é exatamente esse: fique atento e não se coloque em risco desnecessariamente, nem na África do Sul nem em qualquer outro país do mundo.

Malária

A grandes cidades da África do Sul (Joanesburgo, Cidade do Cabo, Durban, Pretória e Port Elizabeth) possuem risco zero de malária, mas infelizmente o Kruger Park (o maior parque nacional da África do Sul) está sim numa zona de risco da doença. Você deve excluir o Kruger do seu roteiro então? De jeito nenhum! Todo visitante obviamente deve estar ciente do risco, mas isso não deve impedi-lo de visitar o parque. Até porque prevenir segue sendo o melhor remédio e o Kruger vem insistentemente fazendo a sua parte: mosquiteiros em todos os ambientes fechados (quartos, restaurantes, lojas etc) e muito repelente de longa duração em todos os campings.

Africa-Africa-do-Sul-Repelente-Malaria

E seguindo o exemplo do parque, você também deve tomar algumas precauções essenciais: vestir calça e camisa de manga comprida em cores suaves e calçar sapatos fechados (tênis, botas etc) e usar SEMPRE MUITO repelente! Mas SEMPRE mesmo! E MUITO mais ainda! E não qualquer repelente, viu? Ele deve obrigatoriamente conter a substancia chamada DEET, dietiltoluamida ou diethyltoluamide em inglês. Para não correr risco de comprar aqui no Brasil um repelente que não tenha o tal do DEET, espere para comprar quando chegar lá na África mesmo. Eles tem mais experiência nisso do que a gente!

E se você está planejando passar alguns dias na África, claro que já sabe que muita gente toma medicação profilática para a doença. Doxiciclina, Paludrine/Avloclor e Malarone são apenas algumas das opções que o médico (nada de se automedicar, amiguinho!) poderá te sugerir caso você tenha interesse nessa alternativa. Cada cabeça, uma sentença, claro, mas caso você tenha vindo aqui atrás da minha opinião pessoal, aqui vai ela. Li bastante sobre o assunto e te digo sem constrangimento que nós optamos por NÃO tomar a medicação profilática para malária. E olha que durante a nossa volta ao mundo, circulamos pelo continente africano por quase quatro meses em países como Botswana, Zâmbia e Tanzânia, viu?

O maior problema de qualquer um desses remédios são os efeitos colaterais pesadíssimos, que variam desde enjoo, náusea, tontura, vômitos, insônia até hipersensibilidade da pele ao sol e alucinações. É claro que todos eles, apesar de serem terríveis, se transformam em nada quando falamos em prevenção de uma doença letal com sintomas devastadores como a malária. Mas ainda assim eu acredito que se você tomar e seguir religiosamente todas as formas de prevenção (repelente, mosquiteiro, tela, inseticida, roupas escuras e longas), as chances de você ter problema são mínimas.


Talvez você goste destes posts também...


Não seja egoísta... Compartilhe! :)

8 comentários em “TUDO o que você precisa saber ANTES de viajar para a África do Sul!

  1. Quero muito ir pra África, por amar demais os animais, principalmente em vê-los em seu habitat natural.

    Tenho muitos dúvidas em viajar fora, ainda mais que será a minha primeira inter. Fico meio ”cabreira”. hehe’

    O post me ajudou bastante. Espero que dê tudo certo. :)
    Beijo

  2. Muito obrigada. Viajo para Cidade do Cabo passando 1 dia em Joanesburgo agora em novembro e seus comentários foram bem esclarecedores para que eu viaje mais tranquila. Parabéns!

  3. Olá!
    Gostei muito de suas dicas… e a alimentação para os visitantes como é? Tem comida típica? Qual sua sugestão? Qual o melhor local para visitação de Safari? Tem como ver a maioria dos animais sem intenção de caça? Estou fazendo um trabalho com meus alunos… Grata. Que Deus te abençõe! Aguardo resposta…
    Londrina- Paraná

    1. Oi Rosa, tudo bem? Sobre a alimentação na África do Sul, você já viu nosso post “6 delícias que você precisa experimentar quando for a Cidade do Cabo!”? Lá tem bastante informação interessante sobre os hábitos alimentares do país (se você precisar de algum dado adicional, me avise)! Sobre safaris, o maior e mais famoso da África do Sul é o Parque Nacional Kruger (Kruger National Park). O Kruger foi criado em 1898, tem 19 mil km² e é considerado um santuário da vida selvagem africana. Lá dentro a caça é terminantemente proibida e é possível observar hipopótamos, girafas, zebras, leões, elefantes, búfalos e leopardos livres em seu habitat natural. Espero ter ajudado!
      Abraços,
      Thelma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *